Que maldade é essa?

Enquanto os outros esperam pelo amanhã
Respiro cada segundo dessa manhã
Enquanto todos andam tão depressa
Não troco meus passos por uma promessa

E quanto mais a humanidade usa artimanha
Sinto, minha alma é tamanha
E quanto mais mentira o homem expressa
Escuto, aquela palavra me atravessa

E quem procura a felicidade numa façanha
Meu riso sem motivo estranha
E quem encontra o fracasso, não confessa
Mas meu coração gentil não cessa

E quando o instante perde-se nessa manha
Meu desejo não se acanha
E quando a verdade não mais interessa
Só eu vejo que maldade é essa?

Autoria: Carina Marques